A NECESSIDADE DE UMA PASSAGEM EFICIENTE DE PELETES DA PRENSA PARA O RESFRIADOR.
TEMOS OBSERVADO QUE MUITAS FÁBRICAS DE RAÇÃO OPTAM POR COLOCAR A PRENSA NO MESMO NÍVEL DO RESFRIADOR, MUITAS VEZES POR NÃO TER ALTURA SUFICIENTE NO BARRACÃO. O QUE PODE ACONTECER QUANDO ESSE SISTEMA CHAMADO PARALELO É COLOCADO EM PRÁTICA? SABEMOS QUE O PELETE QUANDO SAI DA PRENSA, ESTÁ COM UMA TEMPERATURA QUE GIRA EM TORNO DE 80 GRAUS. NESTE MOMENTO ELE É MUITO FRÁGIL, PODE QUEBRAR FÀCILMENTE, ORIGINANDO UM NUMERO MAIOR DE FINOS. APESAR DE USAR ELEVADORES COM BAIXA ROTAÇÃO, TRANSPORTADORES TALISCADOS, MESMO ASSIM ESSE CAMINHO QUE O PELETE FAZ ATÉ SER RESFRIADO ORIGINA NA REALIDADE UMA TAXA DE FINOS NÃO SATISFATÓRIA. QUANDO SE COLOCA UMA PENEIRA VIBRATÓRIA NA SAÍDA DO RESFRIADOR PARA ELIMINAR ESSES FINOS E CONSEGUIR UM MAIOR NUMERO DE PELETES, A EMPRESA ESTÁ COLABORANDO PARA O AUMENTO DO CUSTO EM SUA RAÇÃO PORQUE ESTARÁ, QUERENDO OU NÃO, PELETIZANDO DUAS VEZES O MESMO PRODUTO, CAUSANDO, ENTÃO, AUTOMATICAMENTE O AUMENTO DO CUSTO DA ENERGIA, COM O MOTOR QUE ESTÁ ACIONANDO ESSA PENEIRA. OUTRO SISTEMA USADO É O PNEUMÁTICO, QUE QUANDO NÃO ESTÁ BEM DIMENSIONADO ACABA INIBINDO A PRODUÇÃO DA PRENSA POR NÃO DAR VAZÃO SUFICIENTE DOS PELETES EM DIREÇÃO AO RESFRIADOR, O OPERADOR ENTÃO SE VE OBRIGADO A DIMINUIR A PRODUÇÃO DA PRENSA, CASO CONTRÁRIO O SISTEMA VAI EMBUCHAR CONSTANTEMENTE DIMINUINDO A PRODUÇÃO DIÁRIA. POR ESSES ACONTECIMENTOS QUE TEMOS PRESENCIADOS, E QUE INDEPENDE DE NOSSAS ORIENTAÇÕES, MUITAS EMPRESAS TEM SOFRIDO POR NÃO CONSEGUIREM UMA PRODUÇÃO ALTA E NEM COLOCAR NA GRANJA UMA PORCENTAGEM DE 85% DE PELETES O QUE SERIA O IDEAL. OUTRO FATOR QUE OBSERVAMOS E QUE LIMITA A CARGA DA PRENSA É QUANDO OS MONTADORES RESOLVEM POR CONTA PRÓPRIA SEPARAR O EXAUSTOR DO RESFRIADOR, COLOCANDO-O MUITA VEZES MAIS DE 10,00 MTS DE DISTÂNCIA COM UMA TUBULAÇÃO DE LIGAMENTO DE MAIS DE 600MM DE DIÂMETRO O QUE VAI OCASIONAR PROBLEMAS NO RESFRIAMENTO, ENTÃO DIMINUE-SE A CARGA DA PRENSA PARA QUE O RESFRIADOR POSSA RESFRIAR UMA CARGA MENOR. PREJUÍZOS QUE UMA ORIENTAÇÃO ANTES DA MONTAGEM DO CONJUNTO PELETIZADOR, SERIA SUFICIENTE PARA ELIMINAR ESSAS PERDAS, QUE SÒMENTE COM UMA MANUTENÇÃO CORRETIVA, GASTOS DESNECESSÁRIOS, PODERÃO SER CORRIGIDOS A CONTENTO. INDICAMOS ENTÃO O SISTEMA CHAMADO CASCATAQUE APESAR DE HAVER NECESSIDADE DE GASTO COM UMA ESTRUTURA DE SUSTENTAÇÃO, SEMPRE HAVERÁ RETORNO NO CUSTO BENEFÍCIO, PORQUE O OPERADOR TERÁ UMA PLATAFORMA PARA MANUTENÇÃO DE ONDE TERÁ MAIS FACILIDADE PARA CONTROLAR O FLUXO DE ALIMENTAÇÃO DA PRENSA E SAÍDA DO RESFRIAMENTO. VEJA AS FOTOS ANEXADAS.

VANDERLEI (14) 8121.6455 OU (37) 9125.1875
 
16 de Abr de 2014 - 11h06min
UM TIME COMPLETO DE PROBLEMAS JOGANDO CONTRA O SEU PROCESSO DE PELETIZAÇÃO

16 de Abr de 2014 - 10h47min
QUANDO O SETOR DE PELETIZAÇÃO SE TORNA INVIÁVEL!

23 de Abr de 2013 - 09h51min
PELETIZAÇÃO DE BIOMASSAS

16 de Abr de 2013 - 08h47min
BIOMASSA A ENERGIA DO FUTURO, MAS NOSSO FUTURO JÁ CHEGOU!

16 de Abr de 2013 - 08h44min
PERSPECTIVAS PARA GRANULADOS DE RESÍDUO

15 de Jul de 2011 - 16h51min
O PROBLEMA DAS CARREIRAS DE FUROS LATERIAIS

15 de Jul de 2011 - 16h50min
A NECESSIDADE DE UMA PASSAGEM EFICIENTE DE PELETES DA PRENSA PARA O RESFRIADOR.